Como alcançar a Equanimidade

Swami Satyananda Saraswati
Para alcançar equanimidade da mente, sábios e pensadores através dos tempos nos ensinaram a viver neste mundo como a língua vive entre os 32 dentes. Sua condição é altamente perigosa. A qualquer momento a língua pode ser cortada em pedaços, mas apesar disso, ela se organiza para permanecer salva.

Similarmente, os seres humanos deveriam ter a destreza da língua e aprenderem a viver no meio das adversidades da vida sem serem afetados por elas. Encarar todos os altos e baixos, esperanças e desesperos sem se contaminar. Sem permitir a mente seja afetada negativamente pelas contradições da vida. Este é o Yoga da equanimidade.

Contradição é a lei da vida, progresso e mobilidade. Há contradição em todo lugar na criação; não existe uma filosofia uniforme na vida. Se não houvesse contradição ou situações adversas não haveria progresso e evolução. Mesmo o fato da existência em si mesmo é uma contradição. Portanto, antes de preocupar-nos sobre as várias contradições na nossa vida, sejam elas emocionais, mentais ou intelectuais, precisamos encontrar uma forma de aceitar as contradições e conflitos e ainda permanecermos harmoniosos e equilibrados.

Tenha um objetivo e uma filosofia de vida.
Se uma pessoa sabe e tem a experiência de que esta vida tem um propósito espiritual e tem um objetivo e uma filosofia de uma vida divina para viver, para alcançar esse propósito, então tudo está bem, ou seja, ela estará envolvida na vida, mas ao mesmo tempo ela desenvolverá uma consciência profunda, elevada, e mais permanente.

Para viver de acordo com esta filosofia elevada, a pessoa necessita das bases do Yoga. Necessita da filosofia de Vairagya; desapego, de Dhyana: meditação e de Anashakti; o processo de desapego. Estes conceitos simbolizam uma aproximação dinâmica da vida e o propósito da existência.

Uma pessoa comum, muitas vezes não tem um objetivo elevado ou filosofia, ela está apenas vivendo.

No entanto, o verdadeiro objetivo e destino final da humanidade não pode ser somente riqueza material, fundos de previdência, gerar crianças e educá-las. Embora os seres humanos tenham desejos ilimitados, ambições e paixões, os quais não devem ser negados, é a alma ou Atman que deve ser realizada.

Não podemos nos ver como indivíduo ou apenas como cidadão, patriota, pai, mãe, um empregado, ou membro de uma sociedade. Deveríamos considerar o espírito como o substrato de todos os outros papéis que realizamos na vida. Quanto mais a existência cósmica é concebida, o aspirante espiritual tem somente um destino: auto realização. Quando você percebe que este é o propósito da sua encarnação humana, você se tornará um buscador sincero da paz e trabalhará para tornar-se liberado do ciclo sem fim do Karma.

Tenha paciência
Para alcançar o estado de equanimidade, tente integrar e harmonizar os elementos internos e externos da vida. Para fazer isso, na verdade você não precisa abrir mão de nada e rejeitar nada. À medida que você se envolve, vários hábitos, vícios e experiências vão ficando para trás. Assim como você envelhece e seus cabelos se tornam grisalhos e seus dentes caem como um processo natural, da mesma forma o que chamamos de sensualidades da vida, fraquezas da força da vontade, os hábitos e fraquezas cairão um por um, sem você precisar fazer nada.

Nós somos todos sujeitos às leis do universo ou natureza cósmica e de acordo com estas leis, possuímos um certo tipo de personalidade, uma certa forma de pensar, um certo tipo de convicção, e certos tipos de fortalezas e fraquezas de tempos em tempos. Mas não devemos nos preocupar com isso ou tentar nos liberar disso. Deveríamos esperar. Temos que ter paciência. Se você tiver paciência você verá que no curso do tempo, como uma serpente, cuja pele é trocada automaticamente, os hábitos e vícios serão abandonados por serem transitórios. Todos os pensamentos que passam pela mente são impermanentes: eles se mantêm movendo como um rio fluindo.

Respeite a si mesmo
Todo aspirante espiritual deveria respeitar sua própria personalidade completamente. Você não deve sofrer de culpa, complexos, erros e negatividades. Você é parte integrante do drama cósmico e por tanto você está fazendo sua parte. Uma vez que esteja convencido sobre seu estágio na vida e respeito por si mesmo, pelo seu corpo físico, por sua esposa, marido e criança, estado mental, filosofia moral, ética e religião, você fará um rápido progresso espiritual. No entanto, se você sofre do complexo de inferioridade, constantemente estará pensando: “Eu não sou uma boa pessoa, eu sou um mal intencionado, eu sou fraco, eu sou sensual, eu não estou preparado para a vida espiritual”. Estes tipos de pensamentos não pertencem a um aspirante espiritual que aspira pelo Yoga. Esta atitude não harmoniza ou equilibra o corpo e a mente. Seja você sensual, anti-sensual ou hipo-sensual, não faz diferença, aceite isso! Então qualquer forma de Yoga que você fizer, produzirá resultados espantosos e lhe dará experiências muito rapidamente.

Seja regular no Sadhana
Primeiro, tenha respeito pelo seu estilo de vida e sua personalidade e segundo, seja regular no seu Sadhana a qualquer custo! Dedique o mínimo de 10 minutos para sua prática de Yoga todo dia, sem faltar, com absoluta regularidade de forma a se conectar com sua natureza interior, com esse lugar de estabilidade, silêncio e paz interna. Não há necessidade de pensar: “Oh, minha mente não é estável, minha mente não é tranqüila, minha mente não é focada num ponto”.

Esta é a parte mais importante do Sadhana, esteja você bem ou doente, tenha fé ou não, compreenda ou não, se vê resultados ou não .

É muito difícil manter regularidade na prática espiritual por poucos anos que seja. Não é difícil começar Yoga e o Sadhana, mas dar continuidade é difícil. Estabelecer regularidade leva tempo. Não é somente seis meses. O Sadhana pode facilmente levar 2 ou 3 anos e depois você pode dizer: “Sim a regularidade foi estabelecida. Agora eu posso ir em frente com três horas de Sadhana”. Nisso está o segredo do sucesso.

Sente-se calmamente por 10 minutos, com o corpo absolutamente quieto, com os olhos fechados e focados seja na ponta do nariz, no espaço entre as sobrancelhas, no centro do coração ou no centro do umbigo. Fixe internamente em um desses pontos. Você pode praticar seu Mantra, meditação sobre um símbolo, concentração sobre a respiração ou sobre uma luz no espaço entre as sobrancelhas ou sobre seu símbolo no coração ou no centro do umbigo, qualquer que seja o ponto da sua escolha para esta prática. Se você tem tempo, pratique mais. Seja o que for que você esteja praticando, lembre-se que a regularidade é o mais importante. Não é a quantidade de prática, mas a regularidade é que trará a paz interna e a equanimidade da mente.

Analise a si mesmo continuamente para ver como os nós da vida estão afetando o estado interno da mente, a qualidade divina que está dentro de você. O Sadhaka deveria ter tal firmeza e completude que as adversidades, conflitos e dificuldades vindas da família, dos amigos e dos inimigos, não o afetassem.

Se essas coisas absorvem sua consciência, seja consciente do processo, mas ao mesmo tempo, permaneça estável. Você perceberá que sua mente alcançará tranqüilidade espontaneamente.

Seja qual for sua filosofia, baseada no Raja Yoga ou no Bhakti Yoga ou na religião, ela deveria emergir do fundo do seu coração de forma que um dia quando você se sentar para meditar, sua consciência subirá rapidamente como um foguete para um ponto alto do Samadhi

A Filosofia do Samatvam Swami Satyananda Saraswati
O aspirante espiritual deve se tornar um expert vivendo entre os eventos positivos e negativos da vida.

Algumas vezes há sucesso e algumas vezes o fracasso. Ambos abatem sobre você neste caminho ou naquele. Felicidade te leva à infelicidade e a infelicidade te leva de volta à felicidade e você é rolado como uma bola de futebol de um lado para o outro. Para obter um equilíbrio da mente, você deve mudar sua vida, você deve desenvolver um novo tipo de filosofia.

Desapego filosófico
O que é filosofia? Se chamarmos desapego, isso não cobre a filosofia inteira do Yoga, porque externamente você permanecerá no fio fino da vida e não abandona um item sequer. Seu trabalho, relacionamentos, frutos da ação, conseqüências, reversos e falhas, tudo deve ser experimentado. Você não pode escapar ou rejeitar nenhuma experiência. Se você tenta ignorá-las nas horas despertas, então elas viverão com você em sono e nos sonhos. Elas o seguirão através da vida porque você as desprezou.

Cada experiência é valiosa. Mesmo se você está sofrendo por causa do seu marido, esposa, criança ou amigos, ou por causa de certos complexos de inferioridade, superioridade e narcisismo, ou você tem culpa ou uma natureza sexual perversa , você tem que administrar isso. Não faz diferença se você é arrogante ou obstinado, ou uma pessoa muito boa e caridosa, ou se você explora ou é explorado pelos seus amigos, você tem que aprender a partir desta experiência. Você não tem que se preocupar com seus apegos ou forçar o desapego, você deve ser capaz de encontrar um meio de lidar com isso.

Equilíbrio mental é Sadhana
Em vez de filosofia do desapego, é mais apropriado chamar isto de filosofia do equilíbrio mental.

Desapego leva tempo para desenvolver; não é fácil você começar com isso hoje. Não é só dizer: “Não, eu não estou ligado a você, eu não estou apegado a você”. Você está ligado a todo mundo: pai, mãe, irmãs, irmãos e sobrinhos e de tempos em tempos acontecem coisas entre as pessoas que prejudicam a mente e destroem completamente a estrutura mental. Como resultado, a perspectiva sobre a vida pode ser completamente atirada fora do equilíbrio e então tudo saí da ordem. No entanto, ninguém pode proceder no caminho espiritual com uma mente danificada. Então é mais apropriado chamar esta filosofia de equilíbrio mental pelo fato de que cada aspirante deve ser muito cuidadoso para manter a mente estável sob todas as condições.

Procure sempre manter o equilíbrio mental. As coisas continuam vindo e tocarão você, ainda que você esteja se movendo. De qualquer modo, você deve se tornar apto a se manter acima de todo o clamor.

Não permita que nada passe por cima de você. Não se preocupe! É talvez impossível alguém ser cem por cento verdadeiro às sua convicções todo o tempo, mas mesmo assim você deveria tentar, porque nada deve prejudicar a sua mente. Equilíbrio mental é um Sadhana; é um meio de tomar cuidado da mente. Nossos relacionamentos são sempre tensos e dolorosos, criando medos, sofrimentos, estresse e muitas outras experiências, mas que deveriam mudar. Experiências vem e vão e as pessoas deveriam aprender a observá-las, tornarem-se observadores.

Entendendo o Observador
O equilíbrio mental é mantido permanecendo um observador. Uma definição de Yoga é: a arte pela qual nos tornamos um espectador de todas as experiências da consciência. É quase um processo de desunião, quando começamos a expandir nossa consciência e nos tornamos o observador, estamos separando nós mesmos da nossa consciência externa. Quando a consciência funciona através dos sensos, é chamada de consciência dos sentidos; quando ela funciona através da mente, é chamada mente consciente e por aí vai. Mas quando a consciência funciona sem nenhum filtro obscurecendo-a, é conhecida como consciência cósmica, divina consciência, consciência transcendental.

Conhecimento, conhecimento incorreto e ausência de conhecimento são as formas individuais de consciência que experimentamos no dia a dia. Eles são padrões de consciência que funcionam através de meios. Se você ouve minha palestra, sua consciência está funcionando através o meio auditivo. Se você está pensando sobre minha palestra, sua consciência está funcionando através de um meio intelectual. Nestas formas, a consciência pura, sem forma e o não nomeado, tem uma forma e um nome.

Quem experimenta dor e prazer? Quem entende coisas e quem comete erros? É o indivíduo, pura consciência, mas através de vários meios e filtros. Esta consciência pura é como uma luz sem forma em frente a qual está passando um filme de percepção, audição, sentimento, conhecimento, movimento, entendimento e desentendimento. Vemos tudo que está acontecendo na nossa frente. Para isso, o mundo é um jogo de percepções, uma experiência de percepções, uma expressão de consciência através de meios ou filtros. Quando esses filtros são removidos, não há vida e nem percepção. Há somente uma experiência que nunca cessa de existir. Ela existe sem interrupções em todos os lugares e em todas as circunstâncias, em todos os tempos, onde haja ou não meios ou filtros.

O fato é que, minha consciência, sua consciência, a consciência em si, pode existir, existirá e tem existido eternamente. Os Yogis tem a certeza da continuidade da consciência. Eles descobriram que cada ser humano é alguma coisa que pode existir sem nenhum meio e começaram a trabalhar para trazer meios de desenvolver este estado de força voluntariamente. Isto é o que significa ser o observador no Yoga. Podemos definir Yoga, portanto, como um processo um processo pelo qual podemos tornar nossa consciência livre de qualquer meio de conhecimento ou identificação.

Procure compreender que tudo que cruza na sua vida, cada pessoa e evento, é na verdade neutro em sua natureza. Não é fonte de dor e nem fonte prazer, mas devido a uma filosofia…… você sofre e atribuí seu sofrimento a estes eventos, objetos e pessoas. Na sua nova filosofia, uma absoluta distinção deve ser feita de forma que nenhum objeto, evento, pessoa ou experiência pode tornar-se uma fonte de resposta positiva ou negativa, onde nada pode pertubar sua equipagem. Esta é a filosofia do Samatvam Yoga.

Viva como um lótus
Quando esta nova filosofia chegar na sua vida, externamente tudo permanece o mesmo. Mas a forma como você se relaciona, muda. E esta mudança é para um grande propósito espiritual de alcançar paz e equanimidade mental. Esta paz leva a uma felicidade elevada e liberação das amarras da existência mundana.

Devemos viver como um lótus na água. Um lótus nasce na água, vive na água e sobrevive da água, mas permanece absolutamente seco. Todos nascemos nesse mundo e sobrevivemos do mundo porque sem o mundo não há nada. Não há barulho no mundo; não há paz nos Himalayas! Ambos estão dentro de você. Você pode alcançar um Yoga elevado, você pode ter um Darsham divino, se você conseguir manter sua mente quieta e em paz. Enquanto é verdade que alguém pode ter o Darshan de deus mesmo em casa, é também fato que alguém pode encontrar paz no mundo .

Tente compreender a profundidade, a universalidade e a eternidade da sua natureza através da vida em si mesma. Felicidade perfeita e paz suprema são experimentadas somente depois de ter introspecção e analisado a si mesmo e então trilhado o caminho do Sadhana determinado a levar uma vida divina e virtuosa. O processo de condução ao estado de Samatvam é uma arte, um método de lidar com a própria mente. É um processo de tornar-se observador e um processo através do qual liberta-se a mente de suas limitações. No estágio final deste processo, ganha-se luz, paz, tranqüilidade, entendimento, sabedoria, prazer e felicidade.

A arte da equanimidade é uma virtude em si mesmo. Ela deve ser completa. É essencial para o iniciante ter fé nas altas possibilidades, remover os pensamentos desnecessários, corrigir a mente e tornar-se um observador desapegado. Este mundo material deve ser aceito sem apego ou aversão. Sempre lembre-se que o que é favorável para alcançar a suprema consciência deve ser aceito e o que é desfavorável deve ser rejeitado. Isto é chamado de Samata, equanimidade.